sexta-feira, 30 de setembro de 2011

Jovens da Diocese de Propriá se preparam para participar da JMJ2011

Diocese de Propriá
Setor Diocesano da Juventude
"Aproximai-vos do Senhor" (1Pd 2,4)
"Queridos jovens, no encerramento do Ano Santo, confio-vos o símbolo deste Ano Jubilar: A Cruz de Cristo! Carreguem-na por todoo mundo como um símbolo do amor de Cristo pela humanidade e anunciai a todos que só em Cristo morte e ressiscutado está a salvação e redenção" (Roma, 22 de abril de 1984).
Estamos a menos de quatro meses para a passagem da Cruz Peregrina da Jornada Mundial da Juventude por nossa Diocese, evento que acontecerá na primeira quinzena de janeiro de 2012. Por isso, queremos contar com você para que esse grandioso evento diocesano aconteça e possamos atingir o maior número possível de jovens da nossa Diocese.
Sendo assim estamos promovendo o Concurso Cultural para os jovens que quiserem levar a Cruz Peregrina da JMJ e o Ícone de Nossa Senhora o possa fazer dentro das regras estabelecidads pelo setor Diocesano da Juventude, e assim todas as paróquias da diocese participem de modo efetivo da passagem da Cruz pela Diocese.
Para uma melhor participação deste momento definimos as seguintes regras:
1.    Cada jovem debe elaborar um texto dsobre a seguinte frase: "Vida sem rumo? Cristo caminho certo!";
2.   O texto deve ser redigido ter uma lauda, fonte: Times New Roman, tamanho da fonte 12;
3.   Deve conter Nome, idade, endereço, telefone e nome do grupo/movimento/pastoral que participe na Paróquia, se participar e e-mail;
4.   A data do início do concurso é 01/10/2011 e data de término 30/10/2011;
5.   Idade para participar do concurso: 13 a 30 anos;
6.   O concurso não tem fins lucrativos e é exlcluída toda e qualquer taxa para participação do mesmo;
7.   O resultado do concurso será publicado dia 13/11/2011 nas missas das paróquias da Diocese;
8.   Esse concurso cultural dá direito a levar a Cruz peregrina da Jornada Mundial da Juventude e ìcone de Nossa Senhora, sendo que a comissão organizadora do evento na diocese é quem escolherá os textos que definirá os jovens a levar os ìcones maiores da JMJ;
9.   Os textos devem ser entregues nas secretarias das paróquias da Diocese;
Procure o pároco de sua paróquia e informe-se melhor!!
Participe!!

domingo, 25 de setembro de 2011

Evangelho de hoje

Evangelho (Mateus 21,28-32)

Domingo, 25 de Setembro de 2011
26º Domingo do Tempo Comum

— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo, + segundo Mateus.
— Glória a vós, Senhor!

Naquele tempo, Jesus disse aos sacerdotes e anciãos do povo:
28“Que vos parece? Um homem tinha dois filhos. Dirigindo-se ao primeiro, ele disse: ‘Filho, vai trabalhar hoje na vinha!’ 29O filho respondeu: ‘Não quero’. Mas depois mudou de opinião e foi.
30O pai dirigiu-se ao outro filho e disse a mesma coisa. Este respondeu: ‘Sim, senhor, eu vou’. Mas não foi.
31Qual dos dois fez a vontade do Pai?”
Os sumos sacerdotes e os anciãos do povo responderam: “O primeiro”.
Então Jesus lhes disse: “Em verdade eu vos digo que os cobradores de impostos e as prostitutas vos precedem no Reino de Deus. 32Porque João veio até vós, num caminho de justiça, e vós não acreditastes nele. Ao contrário, os cobradores de impostos e as prostitutas creram nele. Vós, porém, mesmo vendo isso, não vos arrependestes para crer nele”.



- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

sábado, 24 de setembro de 2011

Pe. Mário César sai da cirurgia e se recupera bem

Pe. Mário César de Souza, padre da nossa diocese de Propriá, passou por uma cirurgia na coluna. A cirurgia foi realizada em Belo Horizonte/MG e ele passa bem com um quadro clínico cada vez melhor com previsão de alta para amanhã, 25/09/2011.
Parabéns a Pe. Mário César pela coragem de se submeter a uma cirurgia tão delicada como foi a sua e parabéns à equipe médica que o operou por um trabalho delicado e tão bem executado!
Rezemos para que continue se recuperando e bem com a graça de Deus!

RCC realiza congresso para jovens em Pirambu

A Renovação Carismática Católica (RCC)promove neste fim de semana, 24 e 25 de setembro, o IV Congresso para Jovens na cidade de Pirambu/SE. Jovens de toda a região vão participar. Uma iniciativa do movimento que investe na formação de novas lideranças fundamentando na fé, doutrina da Igreja Católica e opções da RCC. Daqui de Pacatuba uma turma de jovens já partiu com destino a Pirambu. Que seja proveitoso por demais este congresso.

Evangelho de hoje

Evangelho (Lucas 9,43b-45)

Sábado, 24 de Setembro de 2011
25ª Semana Comum

— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Lucas.
— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 43btodos estavam admirados com todas as coisas que Jesus fazia. Então Jesus disse a seus discípulos: 44“Prestai bem atenção às palavras que vou dizer: O Filho do Homem vai ser entregue nas mãos dos homens”. 45Mas os discípulos não compreendiam o que Jesus dizia. O sentido lhes ficava escondido, de modo que não podiam entender; e eles tinham medo de fazer perguntas sobre o assunto.

- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

Santo do dia

São Pio de Pietrelcina

23 de Setembro

São Pio de Pietrelcina Este digníssimo seguidor de S. Francisco de Assis nasceu no dia 25 de maio de 1887 em Pietrelcina (Itália). Seu nome verdadeiro era Francesco Forgione.

Ainda criança era muito assíduo com as coisas de Deus, tendo uma inigualável admiração por Nossa Senhora e o seu Filho Jesus, os quais via constantemente devido à grande familiaridade. Ainda pequenino havia se tornado amigo do seu Anjo da Guarda, a quem recorria muitas vezes para auxiliá-lo no seu trajeto nos caminhos do Evangelho.

Conta a história que ele recomendava muitas vezes as pessoas a recorrerem ao seu Anjo da Guarda estreitando assim a intimidade dos fiéis para com aquele que viria a ser o primeiro sacerdote da história da Igreja a receber os estigmas do Cristo do Calvário.

Com quinze anos de idade entrou no Noviciado da Ordem dos Frades Menores Capuchinhos em Morcone, adotando o nome de "Frei Pio" e foi ordenado sacerdote em 10 de agosto de 1910 na Arquidiocese de Benevento.

Após a ordenação, Padre Pio precisou ficar com sua família até 1916, por motivos de saúde e, em setembro desse mesmo ano, foi enviado para o convento de São Giovanni Rotondo, onde permaneceu até o dia de sua morte.

Abrasado pelo amor de Deus, marcado pelo sofrimento e profundamente imerso nas realidades sobrenaturais, Padre Pio recebeu os estigmas, sinais da Paixão de Jesus Cristo, em seu próprio corpo.

Entregando-se inteiramente ao Ministério da Confissão, buscava por meio desse sacramento aliviar os sofrimentos atrozes do coração de seus fiéis e libertá-los das garras do demônio, conhecido por ele como "barba azul".

Torturado, tentado e testado muitas vezes pelo maligno, esse grande santo sabia muito da sua astúcia no afã de desviar os filhos de Deus do caminho da fé. Percebendo que não somente deveria aliviar o sofrimento espiritual, recebeu de Deus a inspiração de construir um grande hospital, conhecido como "Casa Alívio do Sofrimento", que se tornou uma referência em toda a Europa. A fundação deste hospital se deu a 5 de maio de 1956.

Devido aos horrores provocados pela Segunda Guerra Mundial, Padre Pio cria os grupos de oração, verdadeiras células catalisadoras do amor e da paz de Deus, para serem instrumentos dessas virtudes no mundo que sofria e angustiava-se no vale tenebroso de lágrimas e sofrimentos.

Na ocasião do aniversário de 50 anos dos grupos de oração, Padre Pio celebrou uma Missa nesta intenção. Essa Celebração Eucarística foi o caminho para o seu Calvário definitivo, na qual entregaria a alma e o corpo ao seu grande Amor: Nosso Senhor Jesus Cristo; e a última vez em que os seus filhos espirituais veriam a quem tanto amavam.

Era madrugada do dia 23 de setembro de 1968, no seu quarto conventual com o terço entre os dedos repetindo o nome de Jesus e Maria, descansa em paz aquele que tinha abraçado a Cruz de Cristo, fazendo desta a ponte de ligação entre a terra e o céu.

Foi beatificado no dia 2 de maio de 1999 pelo Papa João Paulo II e canonizado no dia 16 de junho de 2002 também pelo saudoso Pontífice.

Padre Pio dizia: "Ficarei na porta do Paraíso até o último dos meus filhos entrar!"



São Pio de Pietrelcina, rogai por nós!


.: Reze com São Padre Pio: Fica comigo, Senhor!

Evangelho de hoje

Evangelho (Lucas 9,18-22)

Sexta-Feira, 23 de Setembro de 2011
São Pio de Pietrelcina


A- A+


— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Lucas.
— Glória a vós, Senhor.

Aconteceu que Jesus 18estava rezando num lugar retirado, e os discípulos estavam com ele. Então Jesus perguntou-lhes: “Quem diz o povo que eu sou?” 19Eles responderam: “Uns dizem que és João Batista; outros, que és Elias; mas outros acham que és algum dos antigos profetas que ressuscitou”.
20Mas Jesus perguntou: “E vós, quem dizeis que eu sou?” Pedro respondeu: “O Cristo de Deus”. 21Mas Jesus proibiu-lhes severamente que contassem isso a alguém.
22E acrescentou: “O Filho do Homem deve sofrer muito, ser rejeitado pelos anciãos, pelos sumos sacerdotes e doutores da Lei, deve ser morto e ressuscitar no terceiro dia”.

- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Santo do dia

São Maurício e companheiros mártires

22 de Setembro

São Maurício e companheiros mártires Hoje Roma, muitas vezes é chamada de Cidade Eterna, onde encontramos a Cátedra de São Pedro, ocupada pelo atual Papa Bento XVI.

Roma é considerada pelos católicos como sinal visível do Sacramento Universal da Salvação, a Igreja; porém, para que isto ocorresse, muitos mártires deram a vida para "comprarem" com o sangue a vitória do Cristianismo sobre o Império Romano, que em 381 dobrou os joelhos diante do verdadeiro Deus e verdadeiro homem: Jesus Cristo.

São Maurício e companheiros faziam parte da tropa dos valentes guerreiros e mártires do Senhor, que estiveram envolvidos no massacre da Legião Tebana. O imperador Diocleciano, precisando combater as tropas que ameaçavam o Império no Oriente, foi ao amigo Maximiano para que o mesmo organizasse um forte exército. Tendo feito progresso, o imperador mandou que o exército parasse para descansar e oferecer sacrifícios aos deuses em sinal de agradecimento.

Imediatamente os soldados cristãos se opuseram a tal ordem: "Somos teus soldados e não menos servidores de Deus. Sabemos perfeitamente a nossa obrigação como militares, mas não nos é lícito atraiçoar o nosso Deus e Senhor. Estamos prontos a obedecer a tudo que não contrarie a lei de Jesus Cristo."

Começaram a matar parte deste grupo e o oficial Maurício com seus companheiros foram os que mais se destacaram pois acolheram, por amor e fé em Jesus Cristo, a palma do martírio, dando assim, o mais perfeito testemunho.

Providencialmente, ou seja, como sinal da grande fidelidade destes cristãos, o local à beira do Rio Ródano ficou conhecido como Martigny, nome que deriva de mártir. Este fato ocorreu por volta do ano 286, e é certo que no século seguinte foi elevada uma basílica no lugar da execução e que, no ano 520, Sigismundo, rei da Borgonha, construiu lá um mosteiro que subsiste ainda e deu origem à cidade de São Maurício na Suíça.

São Maurício e companheiros, rogai por nós!


Evangelho de hoje

Evangelho (Lucas 9,7-9)

Quinta-Feira, 22 de Setembro de 2011
25ª Semana Comum

— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo Lucas.
— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 7o tetrarca Herodes ouviu falar de tudo o que estava acontecendo, e ficou perplexo, porque alguns diziam que João Batista tinha ressuscitado dos mortos. 8Outros diziam que Elias tinha aparecido; outros ainda, que um dos antigos profetas tinha ressuscitado. 9Então Hero­des disse: “Eu mandei degolar João. Quem é esse homem, sobre quem ouço falar essas coisas?” E procurava ver Jesus.

- Palavra da Salvação.
- Glória a vós, Senhor.

terça-feira, 20 de setembro de 2011

I Arrastão da Bíblia em Pacatuba/SE

Vem ai o I Arrastão da Bíblia
No dia 30 de setembro aqui em Pacatuba acontecerá o 1° Arrastão da Bíblia promovido pela paróquia em parceria com o CRAS, Secretaria de Ação Social, Secretaria de Cultura e Prefeitura. Assim queremos convidar a todos para o evento.
animarão o arrastão: o trio abusado e a banda Puro Louvor.
Venha louvar com a gente!!

segunda-feira, 19 de setembro de 2011

CARTA ABERTA DO 1º ENCONTRO DAS COMUNIDADES TRADICIONAIS DO BAIXO SÃO FRANCISCO SOBRE TERRA E TERRITÓRIO


Testemunhos do Povo: Sônia (MMC), Lucélia (Cacique do Povo Tankará, Itacuruba/BA), Xifronésia (Quilombo Caraíbas), Toinho Pescador (Penedo/AL) e Ninho (Pólo Sindical do BSFrancisco/SE)

 
Esclarecimento do Estado: Fontinelli (INCRA/SE), Dep. Ana Lúcia (PT), Dom Mario (Bispo de Propriá, Luciana Cury (MPE/BA) e Luis Eduardo (Sec. Direitos Humanos)

Vindos dos Estados de Alagoas, Bahia, Pernambuco e Sergipe nos encontramos em Propriá (SE) para debater os principais impactos dos projetos em execução ou previstos para a Bacia do Rio São Francisco. Somos mais de 47 pessoas, vítimas da cobiça dos grandes projetos previstos pelo Governo (Energia Nuclear, Mineração, Transposição do Rio São Francisco, Transnordestina, Hidroelétricas, Canal do Sertão e etc.) para esta região. Estavam presentes representantes dos movimentos sociais, pastorais, sindicatos, ONGs, associações, comunidades quilombolas, indígenas e pescadores/as artesanais.
Nestes Estados, não diferente de outros locais do país, os grandes projetos que estruturam o modelo de desenvolvimento capitalista têm gerado fortes impactos socioambientais e os principais alvos são as comunidades quilombolas, ribeirinhas, indígenas, pesqueiras e camponesas.

As grandes obras são concebidas sem nenhuma preocupação referente aos impactos socioambientais. Na verdade, tais obras atendem aos interesses de grandes corporações e exportadores, vinculados a atividades econômicas concentradoras de riqueza como o agronegócio, mineração e a produção de bicombustíveis. Todas elas estão diretamente relacionadas à sanha pela acumulação de capital, o que tem projetado a América Latina e, mais precisamente o Brasil, como um grande celeiro para a exploração de recursos naturais e investimentos bilionários.
A lógica de mercantilização dos bens naturais reflete-se na atual situação de degradação do Rio São Francisco, de enorme importância para a população do semiárido, representando 60% das reservas de águas do Nordeste brasileiro.
São apresentados para a sociedade, 2 (dois) modelos de projetos contraditórios: um intencionalmente construído pelo Poder Público e grandes grupos econômicos, a fim de favorecer o grande capital e outro dos movimentos sociais, comunidades e povos tradicionais, baseado na preservação socioambiental e continuidade da vida. Os dois modelos demandam terra e água, por isto vivem em permanente conflito, principalmente por se relacionarem com estes elementos de forma diferenciada. O resultado do confronto é a depredação do rio e a violência contra as comunidades seculares que habitam sua bacia.
Neste cenário, o Governo se sobressai como o maior provocador destes conflitos e fragmentador das políticas públicas, inclusive estimulando a violência com seus projetos e não priorizando a reforma agrária e a demarcação dos territórios tradicionais, salvo raras exceções como no caso de Sergipe na identificação antropológica dos territórios quilombolas.
Precisamos de nossos territórios, com todos os serviços ambientais que eles nos proporcionam, como a fertilidade dos solos, a abundância da água e de tantas formas de vida.
Por isto, de forma articulada, vamos intensificar a conquista e defesa da terra e das águas, reconquistar os territórios roubados dos nossos antepassados e consolidar o que já existe de conquistas, mas que nos pertencem e são a herança das gerações que nos sucederão.
 
Propriá (SE), 18 de setembro de 2011.

Coordenação Nacional de Articulação Quilombola - CONAQ; Comitê Gestor das Comunidades Quilombolas de Sergipe; Comunidades Quilombolas Brejão dos Negros, Mocambo, Caraíbas, Lagoa dos Capinhos, Pontal da Barra e Ladeiras (SE); Povos Indígenas Pankará (PE), Kariri Xocó (AL), Katókinn (AL); APOINME; CPT; CIMI; PASTORAIS; FETASE; Movimento Mulheres Camponesas – MMC; Movimento dos Sem Terra - MST; CÁRITAS DIOCESANA DE PROPRIÁ; COMITÊ DA BACIA DO SÃO FRANCISCO; Comunidades de Fundo de Pasto de Areia Grande (BA); CPP; Pescadores/as do Submédio e Baixo São Francisco; FEPEAL; Movimento dos Filhos do Velho Chico – MFVC; CEBs; Núcleo Diretivo do Território da Cidadania do Baixo São Francisco.

Bote fé

Cruz da JMJ: 100 mil jovens em São Paulo
 Evento inicia trajetória rumo à JMJ do Rio de Janeiro, em 2013

SÃO PAULO, segunda-feira, 19 de setembro de 2011 (ZENIT.org) – Cerca de 100 mil jovens acolheram nesse domingo, em São Paulo, a Cruz e o Ícone da JMJ (Jornada Mundial da Juventude).
O grande evento, intitulado “Bote Fé”, aconteceu no aeroporto Campo de Marte, na zona norte da cidade, e contou com muita música, confraternização e momentos de oração.
Das 9h às 21h, jovens, famílias, religiosos, bispos vivenciaram um pouco da alegria do que será a JMJ do Rio de Janeiro, em 2013.
Segundo informa o portal da arquidiocese de São Paulo, na abertura do evento, o cardeal Odilo Scherer, arcebispo de São Paulo, disse que “a Igreja tem fé na juventude”.
A juventude “possui um coração generoso e o desejo de construir um mundo melhor para si e para as próximas gerações”, destacou.
Dom Tarcísio Scaramussa, bispo auxiliar de São Paulo e referencial do Setor Juventude da arquidiocese, disse que “a grande expectativa era de ter um bom início, com grande resposta de interesse, e isso já se confirmou com a participação em Madri e agora aqui”.
“É tempo de evangelização, de encontrar motivos de alegria e esperança para um mundo novo”, afirmou.
Segundo Dom Tarcísio, o jovem “é uma prioridade; a Igreja acredita no presente e no futuro. O jovem é a igreja hoje e a renovação das forças para a igreja do amanhã, além da alegria que a juventude tem e que a igreja precisa”.
Diferentes atividades e serviços foram preparados para o “Bote Fé”. Houve tenda de confissões, capela de adoração, terço encenado, vídeos sobre a história da JMJ e sobre a jornada de Madri, missas, testemunhos.
Entre as muitas apresentações musicais, shows de padre Fábio de Melo, Olívia Ferreira, Marcio Pacheco, Banda Dom, DJs e Cristo Dance, Banda Beatrix, Rosa de Saron, DDD, Vida Reluz, Adriana, Eugenio Jorge, Dunga, Eliana Ribeiro e Walmir Alencar.
"Nos próximos dois anos vamos experimentar o catolicismo de forma verdadeira, em um espetáculo de unidade. Hoje não se tem a possibilidade de evangelizar sem a música", disse o cantor e missionário da Comunidade Canção Nova Dunga.
À tarde, foram acolhidos pelos jovens os símbolos da JMJ. A Cruz e o Ícone chegaram em caminhões do corpo de bombeiros, durante missa presidida por Dom Odilo.
A festa continuou até às 21h, quando a Cruz e o Ícone seguiram para a Catedral da Sé, onde fica até a noite desta segunda-feira.
--- --- ---
Na internet: http://www.jovensconectados.org.br/ http://www.botefesp.com.br/index.html

Envie a um amigo | Imprima esta notícia

Evangelho de hoje


  • Verde. 2ª-feira da 25ª Semana Tempo Comum 

PDF Imprimir Indique um amigo!
Evangelho - Lc 8,16-18
Coloca a lâmpada no candeeiro,
a fim de que todos os que entram, vejam a luz.
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Lucas 8,16-18
Naquele tempo, disse Jesus à multidão: 
16Ninguém acende uma lâmpada 
para cobri-la com uma vasilha 
ou colocá-la debaixo da cama; 
ao contrário, coloca-a no candeeiro, 
a fim de que todos os que entram, vejam a luz. 
17Com efeito, tudo o que está escondido 
deverá tornar-se manifesto; 
e tudo o que está em segredo deverá tornar-se conhecido 
e claramente manifesto. 
18Portanto, prestai atenção à maneira como vós ouvis! 
Pois a quem tem alguma coisa, será dado ainda mais; 
e àquele que não tem, 
será tirado até mesmo o que ele pensa ter.' 
Palavra do Senhor. 

sábado, 17 de setembro de 2011

Equipe dirigente prepara o 3° ECC paroquial

A Equipe Dirigente do ECC (Encontro de Casais com Cristo) prepara o encontro para casais da Paróquia São Félix e alguns da Paróquia de Ilha das Flores. Rezemos para que tudo saia de acordo com a vontade de Deus!

JMJ 2013 será no Rio de Janeiro

Arquidiocese de São Paulo e CNBB acolhem símbolos da JMJ-2013

Arquidiocese de São Paulo e CNBB acolhem símbolos da JMJ-2013

A arquidiocese de São Paulo e a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) promovem, no domingo, 18, no Campo de Marte (zona Norte da capital paulista), das 9h às 21h, o Bote Fé , primeiro evento preparatório à Jornada Mundial da Juventude (JMJ), que será realizada no Rio de Janeiro em 2013.

quinta-feira, 15 de setembro de 2011

DEVOÇÃO A NOSSA SENHORA DAS DORES


NOSSA SENHORA DAS DORES
Foi o Papa Pio X que fixou a data definitiva de 15 de Setembro, conservada no novo calendário litúrgico, que mudou o título da festa, reduzida a simples memória: não mais Sete Dores de Maria, mas menos especificadamente e mais oportunamente: Virgem Maria Dolorosa. Com este título nós honramos a dor de Maria aceita na redenção mediante a cruz. É junto à Cruz que a Mãe de Jesus crucificado torna-se a Mãe do corpo místico nascido da Cruz, isto é, nós somos nascidos, enquanto cristãos, do mútuo amor sacrifical e sofredor de Jesus e Maria. Eis porque hoje se oferece à nossa devota e afetuosa meditação a dor de Maria. Mãe de Deus e nossa.
A devoção, que precede a celebração litúrgica, fixou simbolicamente as sete dores da Co-redentora, correspondentes a outros tantos episódios narrados pelo Evangelho: a profecia do velho Simeão, a fuga para o Egito, a perda de Jesus aos doze anos durante a peregrinação à Cidade Santa, o caminho de Jesus para o Gólgata, a crucificação, a Deposição da cruz, a sepultura, portanto, somos convidados hoje a meditar estes episódios mais importantes que os evangelhos nos apresentam sobre a participação de Maria na paixão, morte e ressurreição de Jesus.
Vamos nós, cristãos, pedir auxílio à Rainha dos Mártires, para que nos mantenha afastados do pecado, e nos dê força, auxílio e paciência para levarmos a nossa Cruz.
As Promessas aos devotos de Nossa Senhora das Dores

Santa Brígida diz-nos, nas suas revelações aprovadas pela Igreja Católica, que Nossa Senhora lhe prometeu conceder sete graças a quem rezar cada dia, sete Ave-Marias em honra de suas principais "Sete dores" e Lágrimas, meditando sobre as mesmas.

Eis as promessas:

1ª - Porei a paz em suas famílias.
2ª - Serão iluminados sobre os Divinos Mistérios.
3ª - Consolá-los-ei em suas penas e acompanhá-los-ei nos seus trabalhos.
4ª - Conceder-lhes-ei tudo o que me pedirem, contanto que não se oponha à vontade de meu adorável Divino Filho e à santificação de suas almas.
5ª - Defendê-los-ei nos combates espirituais contra o inimigo infernal e protegê-los-ei em todos os instantes da vida.
6ª - Assistir-lhes-ei visivelmente no momento da morte e verão o rosto de Sua Mãe Santíssima.
7ª - Obtive de Meu Filho que, os que propagarem esta devoção (às minhas Lágrimas e Dores) sejam transladados desta vida terrena à felicidade eterna, diretamente, pois ser-lhe-ão apagados todos os seus pecados e o Meu filho e Eu seremos a sua eterna consolação e alegria. 


 
Santo Afonso Ligório nos diz que Nosso Senhor Jesus Cristo prometeu, aos devotos de Nossa Senhora das Dores as seguintes graças:
 
Eis as Graças:

1ª – Que aquele devoto que invocar a divina Mãe pelos merecimentos de suas dores merecerá fazer antes de sua morte, verdadeira penitência de todos os seus pecados.
2ª - Nosso Senhor Jesus Cristo imprimirá nos seus corações a memória de Sua Paixão dando-lhes depois um competente prêmio no Céu.
3ª - Jesus Cristo guardá-los-á em todas as tribulações em que se acharem, especialmente na hora da morte.
4ª - Por fim os deixará nas mãos de sua Mãe para que deles disponha a seu agrado, e lhes obtenha todos e quaisquer favores.



O TERÇO DAS SETE DORES
DA VIRGEM MARIA.


Início:

D- Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo.
R- Amém!
D- Nós vos louvamos, Senhor, e vos bendizemos!
R- Porque associastes a Virgem Maria à obra da salvação.
D- Nós contemplamos vossas Dores, ó mãe de Deus!
R- E vos seguimos no caminho da fé!

Oração Inicial:

Virgem Dolorosíssima, seríamos ingratos se não nos esforçássemos em promover a memória e o culto de vossas Dores particulares graças para uma sincera penitência, oportunos auxílios e socorros em todas as necessidades e perigos. Alcançai-nos Senhora, de Vosso Divino Filho, pelos mérito de Vossas Dores e lágrimas, a graça...(pedir a graça)

1ª Dor - Profecia de Simeão

Simeão os abençoou e disse a Maria, sua mãe: Eis que este menino está destinado a ser ocasião de queda e elevação de muitos em Israel e sinal de contradição. Quanto a ti, uma espada te transpassará a alma (Lc 2,34-35).

1 Pai Nosso; 7 Ave Marias 

2ª Dor - Fuga para o Egito

O anjo do Senhor apareceu em sonho a José e disse: Levanta, toma o menino e a mãe, foge para o Egito e fica lá até que te avise. Pois Herodes vai procurar o menino para matá-lo. Levantando-se, José tomou o menino e a mãe, e partiu para o Egito (Mt 2,13-14).

1 Pai Nosso; 7 Ave Marias


3ª Dor - Maria procura Jesus em Jerusalém

Acabados os dias da festa da Páscoa, quando voltaram, o menino Jesus ficou em Jerusalém, sem que os pais o percebessem. Pensando que estivesse na caravana, andaram o caminho de um dia e o procuraram entre parentes e conhecidos. E, não o achando, voltaram a Jerusalém à procura dele (Lc 2,43b-45).

1 Pai Nosso; 7 Ave Marias


4ª Dor - Jesus encontra a Sua Mãe no caminho do Calvário

Ao conduzir Jesus, lançaram mão de um certo Simão de Cirene, que vinha do campo, e o encarregaram de levar a cruz atrás de Jesus. Seguia-o grande multidão de povo e de mulheres que batiam no peito e o lamentavam (Lc 23,26-27).

1 Pai Nosso; 7 Ave Marias


5ª Dor - Maria ao pé da Cruz de Jesus

Junto à cruz de Jesus estavam de pé sua Mãe, a irmã de sua Mãe, Maria de Cléofas, e Maria Madalena. Vendo a Mãe e, perto dela, o discípulo a quem amava, disse Jesus para a mãe: Mulher, eis aí o teu filho! Depois disse para o discípulo: Eis aí a tua Mãe! (Jo 19,15-27a).

1 Pai Nosso; 7 Ave Marias


6ª Dor - Maria recebe Jesus descido da Cruz

Chegada a tarde, porque era o dia da Preparação, isto é, a véspera de sábado, veio José de Arimatéia, entrou decidido na casa de Pilatos e pediu o corpo de Jesus. Pilatos, então, deu o cadáver a José, que retirou o corpo da cruz (Mc 15,42).

1 Pai Nosso; 7 Ave Marias


7ª Dor - Maria deposita Jesus no Sepulcro

Os discípulos tiraram o corpo de Jesus e envolveram em faixas de linho com aromas, conforme é o costume de sepultar dos judeus. Havia perto do local, onde fora crucificado, um jardim, e no jardim um sepulcro novo onde ninguém ainda fora depositado. Foi ali que puseram Jesus (Jo 19,40-42a).

1 Pai Nosso; 7 Ave Marias

terça-feira, 13 de setembro de 2011

Santo do dia - São João Crisóstomo

13 de setembro

São João Crisóstomo

João Crisóstomo foi um grande orador do seu tempo. Todos os escritos dizem que multidões se juntavam ao redor do púlpito onde estivesse discursando. Tinha o dom da oratória e muita cultura, uma soma muito valiosa para a pregação do cristianismo.

João nasceu no ano 309, em Antioquia, na Síria, Ásia Menor, procedente de família muito rica considerada pela sociedade e pelo Estado. Seu pai era comandante de tropas imperiais no Oriente, um cargo que cedo causou sua morte. Mas a sua mãe, Antusa, piedosa e caridosa, agora santa, providenciou para o filho ser educado pelos maiores mestres do seu tempo, tanto científicos quanto religiosos, não prejudicando sua formação.

O menino, desde pequeno, já demonstrava a vocação religiosa, grande inteligência e dons especias. Só não se tornou eremita no deserto por insistência da mãe. Mas, depois que ela morreu, já conhecido pela sabedoria, prudência e pela oratória eloqüente, foi viver na companhia de um monge no deserto durante quatro anos. Passou mais dois retirado numa gruta sozinho, estudando as Sagradas Escrituras e, então, considerou-se pronto. Voltou para Antioquia e ordenou-se sacerdote.

Sua cidade vivia a efervescência de uma revolta contra o imperador Teodósio I. O povo quebrava estátuas do imperador e de membros de sua família. Teodósio, em troca, agia ferozmente contra tudo e contra todos. Membros do senado estavam presos, famílias inteiras tinham fugido e o povo só encontrava consolo nos discursos e pregações de João, chamado por eles de Crisóstomo, isto é,: "boca de ouro". Tanto que foi o incumbido de dar à população a notícia do perdão imperial.

Alguns anos se passaram, a fama do santo só crescia e, quando morreu o bispo de Constantinopla, João foi eleito para sucedê-lo. Constantinopla era a grande capital do Império Romano, que havia transferido o centro da economia e cultura do mundo de então para a Ásia Menor. Entretanto para João era apenas um local onde o clero estava mais preocupado com os poderes e luxos terrenos do que os espirituais. Lá reinavam a ambição, a avareza, a política e a corrupção moral. Como bispo, abandonou, então, os discursos e dispôs-se a enfrentar a luta e, como conseqüência, a perseguição.

Arrumou inimigos tanto entre o clero quanto na Corte. Todos, liderados pela imperatriz Eudóxia, conseguiram tirar João Crisóstomo do cargo, que foi condenado ao exílio. Mas essa expulsão da cidade provocou revolta tão intensa na população que o bispo foi trazido de volta para reassumir seu cargo. Entretanto, dois meses depois, foi exilado pela segunda vez. Agora, já com a saúde muito debilitada, ele não resistiu e morreu. Era 14 de setembro de 407.

Sua honra só foi limpa quando morreu a família imperial e voltou a paz entre o clero na Igreja. O papa ordenou o restabelecimento de sua memória. O corpo de João Crisóstomo foi trazido de volta a Constantinopla em 438, num longo cortejo em procissão solene. Mais tarde, suas relíquias foram trasladadas para Roma, onde repousam no Vaticano. Dos seus numerosos escritos destacasse o pequeno livro "Sobre o sacerdócio", um clássico da espiritualidade monástica. São João Crisóstomo é venerado um dia antes da data de sua morte, em 13 de setembro, com o título de doutor da Igreja, sendo considerado um modelo para os oradores clérigos.

Dom Brandão por Ir. Francisca


DOM JOSÉ BRANDÃO DE CASTRO


Ir. Francisca Hendrick, Pacatuba/SE

Há pessoas que continuam falando mesmo depois de mortas. Assim é e será Dom José Brandão de Castro. Quantos encontros, reuniões, assembléias onde o nome deste grande profeta é lembrado. Ele é lembrado com saudade, alegria e estímulo pelo que viveu no meio do povo da diocese de Própria.
Dom José, participante do Concílio Vaticano II, foi em 1965 bater na porta do convento das Irmãs da Caridade de Namur – Bélgica. Ali esteve solicitando a presença de irmãs na diocese. Na época poucos padres atendiam o povo, o próprio bispo era vigário da catedral. Havia duas comunidades de irmãs, mas ocupadas no hospital e no colégio. Dom José queria irmãs na pastoral.
Eu, irmã Francisca estava já me preparando para trabalhar na África. Deus mudou os meus rumos e aceitei vir ao Brasil, para diocese de Própria. A nossa chegada bem preparada pelo homem que era, sensível e humano, foi uma festa.
No primeiro período nossa diocese cuidava do conhecimento dos documentos do Concilio e juntos procurávamos como pô-los em prática. Desde então começou a revelar sua capacidade de adaptação ao novo, da parte do nosso bispo.
A pastinha cheia de documentos, ele chegava e nos encantava com seu entusiasmo.   O entusiasmo é contagiante, mais padres, irmãs e agentes de pastoral vinham chegando. Quando nos encontrávamos era uma festa, o nosso Dom cantava, gargalhava e acolhia a todos. O povo da diocese participava ativamente da vida da diocese de Própria.
Os documentos de Medellin, Puebla e do Concilio, acordaram então uma esperança abafada apesar da ditadura do regime militar.
Dom José acolhia a todos na sua casa, um cafezinho e um doce estavam sempre prontos a espera dos visitantes.
Quando irmã Terezinha e eu fomos falar com o nosso Dom para nos permitir viver uma vida de inserção em Canhoba, ele nos disse: “O projeto de vocês é muito exigente, vão, mas se não agüentar, voltem aqui”.
Nem nós, nem Dom José talvez sabíamos que este envio para a radicalidade do evangelho seria nosso batismo.
O povo se encarregou da nossa formação. Tempo de muita exigência, mas despertar agudo da presença de Deus no meio dos humildes.
Neste tempo nasceu a equipe missionária diocesana na nossa casinha em Canhoba, tudo com o pleno apoio do bispo.
Também surgiu a desapropriação das terras do Betume pela campanha da Codesvasf.  Muito sofrimento para o povo de toda região de Neópolis e IIha das Flores.  Na ocasião duma visita a diocese por Dom Pedro Casaldaliga, bispo da diocese de São Félix do Araguaia, grande profeta durante o regime militar e depois. Visitando este povo sofrido, perdendo seus meios de vida, os dois bispos e nós irmãs, o homem seu Zequinha exclamou: “Dom José o senhor é o nosso Moisés”.  Estas palavras ressoaram fundo no ser do bispo. De tímido que era se tornou audacioso e sem descanso, defendendo os direitos dos fracos.
Promovemos uma Santa Missão na Santana dos Frades, Pacatuba. Dom José marcou presença durante todo tempo da missão. Ali descobrimos um povo que vivia praticamente em regime de escravidão, mantido por Zeca Pereira. O bispo mais uma vez se sensibilizou ao pedido deste povo. Iniciou-se então uma reivendicação pela posse, foram três anos de ameaças e inquietação, muitos se fizeram solidários, o bispo sempre que necessário dava o grito pela justiça.        
A Ilha de São Pedro foi enfrentada em favor dos índios Xocós, hoje libertos na sua aldeia.
O tempo, as preocupações, a responsabilidade, o regime militar, a falta de recursos, todos estes fatores desgastaram cedo demais as forças de nosso amado e querido Dom José. Na sua grande humildade ele pede afastamento da diocese e voltou para sua Congregação Redemptorista em Minas Gerais.
No dia 23 de dezembro 1999, ele realizou a sua entrega total a Deus.

Fonte: E-mail enviado ao Pe. Isaias Nascimento no dia 11/07/11, uma segunda-feira, às 07hs17.

sábado, 10 de setembro de 2011

Evangelho hoje


  • Verde. Sábado da 23ª Semana Tempo Comum 

PDF Imprimir Indique um amigo!
Evangelho - Lc 6,43-49
Por que me chamais: 'Senhor! Senhor!',
mas não fazeis o que eu digo?
+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Lucas 6,43-49
Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 
43Não existe árvore boa que dê frutos ruins, 
nem árvore ruim que dê frutos bons. 
44Toda árvore é reconhecida pelos seus frutos. 
Não se colhem figos de espinheiros, 
nem uvas de plantas espinhosas. 
45O homem bom tira coisas boas 
do bom tesouro do seu coração. 
Mas o homem mau tira coisas más do seu mau tesouro, 
pois sua boca fala do que o coração está cheio. 
46Por que me chamais: 'Senhor! Senhor!', 
mas não fazeis o que eu digo? 
47Vou mostrar-vos com quem se parece 
todo aquele que vem a mim, ouve as minhas palavras 
e as põe em prática. 
48É semelhante a um homem que construiu uma casa: 
cavou fundo e colocou o alicerce sobre a rocha. 
Veio a enchente, a torrente deu contra a casa, 
mas não conseguiu derrubá-la, porque estava bem construída. 
49Aquele, porém, que ouve e não põe em prática, 
é semelhante a um homem que construiu uma casa no chão, 
sem alicerce. 
A torrente deu contra a casa, 
e ela imediatamente desabou; 
e foi grande a ruína dessa casa.' 
Palavra da Salvação.